Responsive image

SALVE uma Fabi Grossi !

Nenhum comentário
Fabi Grossi
Reprodução facebook
A internet é hoje o principal meio de comunicação entre as pessoas do mundo, e isso não é novidade. Ela é também, infelizmente, o principal meio utilizado para denegrir a imagem de uma pessoa, mas isso também não é novidade. Agora, que projetos estão sendo criados, para te alertar sobre o risco de mandar um “nude” utilizando um robô, é, isso é novidade!

Quem é Fabi Grossi?!
A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, selfie, close-up e área interna
Imagem facebook
Fabi Grossi é um robô devolvido pela Unicef em parceria com o Facebook e uma empresa argentina chamada Sherpas, ainda no ano de 2017. As três empresas criaram o projeto carretas, que tem o objetivo de levantar dados sobre casos de vazamento de imagens, utilizando um dispositivo interativo de inteligência artificial.

Fabi Grossi é uma personagem fictícia interpretada por uma atriz que cede imagens e áudios para uma página no facebook, podendo os internautas interagirem com ela através do Messenger. A personagem é fictícia, mas o enredo da história é baseado em casos reais, de vítimas que tiveram imagens expostas na internet principalmente por ex-namorados.

A página de Fabi foi criada para as pessoas adquirem mais conhecimento sobre os danos de uma exposição, e também, para os especialistas identificarem se as pessoas sabem lidar com tal caso.

Como funciona o projeto?!


Trecho conversa- facebook
Como citei acima, tem um pagina no facebook, como um perfil normal, de uma pessoa normal, utilizando imagem de uma garota comum, com o nome de Fabi Grossi. (AQUI).
Para participar do projeto, você lhe envia uma mensagem de texto através do Messenger. Em pouco tempo eles lhe respondem e pedem para confirmar sua participação, e se caso não lhe agradar a história, você pode interromper o projeto mandando a palavra “PARE”.

Confirmando, o perfil irá iniciar uma conversa com você, explicando sobre o caso do ex namorado dela ter publicado um vídeo íntimo. No decorrer da conversa ela lhe manda áudio, vídeo, prints e fotos de seu estado. Ela comenta sobre o que está sentindo, sobre as proporções do vídeo, sobre ameaças, e o dilema de contar ou não o caso a seus pais. 

Se você indicar na conversa que ela é culpada pela ação, a conversa toma um rumo de explicações sobre como ela é vítima, e no fim, ou ela pode tentar buscar ajuda sozinha, ou teoricamente se mata.

Se você der apoio, se mostrar preocupado e interessado no assunto, ela te manda dados sobre o índice de casos e acaba buscando justiça. Se você for também uma vítima, ela foca em te ajudar e deixa a história dela fora de foco. 



A conversa dura em torno de 48h, com ela te chamando principalmente à noite, ou quando você estiver respondendo mais rápido. Há casos da conversa demorar mais tempo a ser concluído, isso depende da atenção que você der a interação.

Eu participei e achei uma experiência incrível. A história é bem desenvolvida, assim como os itens utilizados, como as imagens e áudios. Era como se estivesse conversando com uma amiga, já que o robô utiliza de uma linguagem simples, até com gírias muito utilizadas pelos jovens. Eu gostei, indico, porém, se você não tem uma estrutura psicológica mais forte, não vá atrás! No decorrer das trama, você sente as dores dela, o desespero dela...

Exposição de imagens sem autorização é crime:

Segundo a SaferNet, organização de defesa dos direitos humanos na Internet, todo dia são denunciados milhares e milhares de casos de ‘revenge porn’, expressão inglesa para “pornografia de vingança”, uma expressão utilizada para denominar o ato de expor vídeos ou fotos na internet de caráter íntimo de outras pessoas, sem a autorização delas.

Em uma pesquisa, foi comprovado que esse tipo de ato acontece na maior parte no fim de um relacionamento, sendo as mulheres as maiores vítimas, em uma idade de 15 a 18 anos. E a maioria dessas vítimas, infelizmente, entram em depressão profunda e cometem suicídio!

Carolina Dieckmann indo depor
Alagoas digital- Carolina Diekmann 

Em 2012, após a atriz Carolina Dieckmann ter o computador hackeado e ter suas fotos intimas expostas, foi criado a Lei Carolina Dieckmann, N° 12.737/12, mas essa lei ainda possui especificações bastante amplas e punições muito brandas, e foi por esse motivo, que no fim de fevereiro de 2013, foi aprovado na Câmara dos Deputados o Projeto de Lei 5555/13 para criar legislação específica para crimes de veiculação de imagens íntimas. Esse projeto altera a Lei Maria da Penha, confirmando essa prática como uma forma de violência doméstica e familiar contra a mulher. 

Porém, para se fazer a justiça, é necessário identificar o autor da exposição e ter provas. Essas provas podem ser print de ameaças, gravações de áudio ou vídeo. E cabe também as pessoas que lhe desmoralizaram a partir da visualização da imagem, entrando os sites que compartilharam o vazamento sem autorização. 

Confiança em uma pessoa errada pode ter proporções épicas na nossa vida. Portanto, cuide com o que divulga e como divulga. A prática de exposição de imagem é algo sério, que pode trazer danos irreversíveis. São vidas atrás de uma filmagem ou de uma foto. E não seja só um observador, em casos suspeitos, denuncie !


Beijos, Gigi :*

Postar um comentário

• Não serão aceitos comentários grosseiros
• Deixe o link do seu blog ao final do comentário
• Parcerias só em contato